Thais Fornicola Neves: A voz das mulheres no agro.

0
119
Thais
Thais

Diretora de Operações Agroindustriais da Raízen, Thais lidera um time de mais de 3000 pessoas enquanto inspira e encoraja mais mulheres a seguirem no agro.

O foco, a disciplina e o desenvolvimento constante fazem parte da trajetória de Thais, que ama aprender coisas novas e promover transformações, seja nos ambientes, pessoas, processos ou resultados. A engenheira eletricista atua há mais 20 anos em grandes corporações, com passagem por áreas diversas como RH, suprimentos e governança.

Atualmente, é Diretora de Operações Agroindustriais na Raízen, onde é responsável por três bioparques e por um time focado em produzir cana, etanol, açúcar e bioenergia com qualidade e eficiência. “Não gosto da frase “extrair o melhor de cada um”, o que busco é despertar a vontade de cada um em fazer o seu melhor. Dessa forma, todo mundo ganha e é energizante trabalhar em um ambiente assim.”, afirma Thais, que mantém uma relação de confiança e proximidade com sua equipe. 

O agro ainda é majoritariamente masculino. Você enfrentou algum tipo de preconceito ao assumir cargos de liderança no setor?     

Em alguns episódios sim, mas aprendi grandes lições que uso para a vida: 1) A única pessoa que consegue te fazer sentir diminuída é você mesma.    Ter a consciência de que essa chave é sua e só você pode permitir esse sentimento, é algo libertador e me trouxe muito autocontrole e equilíbrio. 2) Aprendi também que o que te define é consistência nos resultados e na forma como você trata as pessoas, mesmo em situações difíceis. Seu gênero e suas preferências são características que não devem influenciar no seu legado, seja ele positivo ou negativo. 3) Hoje, como liderança, tenho muita clareza do meu papel em promover um ambiente diverso que estimula muito a colaboração, escuta ativa, transparência, parceria e, como consequência, gerar resultados excepcionais com propósito e de forma genuína.

Você foi listada entre as 100 Mulheres Poderosas do Agro. Como foi receber esse reconhecimento? 

Foi uma grande surpresa e ao mesmo tempo uma sensação de reconhecimento por ter abraçado o tema de gênero no agro com muita vontade de mudar o cenário. Acredito que temos muitas oportunidades de transformação, inovação e evolução no agronegócio se abrirmos mais espaços para as mulheres tanto na base da pirâmide como nas posições de tomada de decisão. São muitas as histórias de produtoras herdeiras que mudaram de patamar os negócios da família depois que assumiram o controle, outras evidências de mulheres na base da pirâmide que trouxeram uma nova forma de trabalhar que beneficiou também a eficiência, o clima organizacional e assim por diante. 

Quando me vi como única em muitos fóruns, pensei que o tamanho do meu privilégio de ter chegado até aqui é do mesmo tamanho da minha responsabilidade de influenciar nessa jornada. E então comecei minha conta no Instagram @vamosjuntasnoagro para encorajar e atrair mulheres para o agro, aceitei fazer palestras, lives, representar a Raízen em muitos eventos para trazer luz à equidade de gênero. E funcionou, nem sonhava em ser listada pela Forbes, e fui! Fazendo o que acreditei sem perceber que tinha alguém notando.

Quais estratégias vocês estão adotando para diminuir a emissão de carbono? 

Aqui na Raízen estamos focados em redefinir o futuro da energia. E está na nossa cultura aproveitar todo potencial energético da nossa matéria prima:       a cana de açúcar. A partir dela, que é totalmente renovável e limpa, produzimos açúcar e etanol — que possui uma pegada de carbono 80% menor se comparado ao combustível fóssil — e a bioenergia que é gerada a partir da queima do bagaço, o resíduo da cana. Também temos investido muito em tecnologia para garantir que a economia circular seja plenamente implementada, aproveitando todos os subprodutos do processo industrial e agrícola para gerar ainda mais energia limpa. 

A tecnologia e a inovação estão presentes no dia a dia da Raízen. Como isso é estimulado nos colaboradores e novos talentos?

Incentivamos os colaboradores e novos talentos a se envolverem em programas de carreira, jornadas de inovação, parcerias com startups e instituições de ensino e projetos de impacto social. Para onde olhamos a inovação está inserida: para gerir o campo é preciso de muito dado, muita tecnologia nas máquinas, logística, georreferenciamento, acompanhamento de produtividade, agricultura de precisão, enfim, temos um campo fértil em todos os sentidos para inovar.

A Raízen também conta com iniciativas como o movimento “Women RaízenTech”, que apoia e fortalece o mindset de inovação entre as mulheres de tecnologia da empresa, e o Pulse, o hub de inovação aberta que conecta a empresa com startups de diversos setores. Para quem está mais próximo da produção, temos um programa de excelência operacional que chamamos de SER+, que nos ajuda a inovar nas pequenas atividades eliminando desperdícios e sendo ainda mais sustentável.

Qual conselho você daria para os profissionais que estão começando?

Não deixe ninguém te limitar, você pode ser infinito e conquistar infinito, todos os limites estão dentro de você, da sua cabeça e do seu coração. Se conheça, tenha autocontrole, e vá em frente no que acredita, sendo gentil com as pessoas e com paciência. Aprendi que paciência é ter boa atitude enquanto espera. Você nunca está atrasado para o que é seu.

E seja generoso com o outro e com você, sempre. Ninguém sai de casa cedo para trabalhar com vontade de errar, então parta sempre da premissa de que o outro tem a intenção de entregar seu melhor de acordo com a formação que receberam, experiências que tiveram ao longo da vida.      Perspectivas diferentes devem se complementar.

Onde (ou com quem) você busca inspiração para liderar?

Minha família é minha base e me inspira demais a ser melhor sempre. Mas algo que também me enche de energia e gratidão é ver mulheres trabalhando no campo como tratoristas, motoristas, plantadoras de cana.     Me emociono ao ver a garra e amor com que elas encaram a rotina. Além disso, meu time todo me encoraja a fazer mais.

Qual é o seu legado rock? 

Meu desejo é ser exemplo de coragem e resiliência, alguém que abre caminho para mulheres serem protagonistas de suas carreiras, que amplia a visão e sensibilidade das pessoas ao meu redor, que constrói times com um ambiente de trabalho de confiança, leve, alegre e transparente, que transborda em resultado. Espero ser inspiração para que o respeito e a busca contínua por aprendizado nos tornem melhores seres humanos.  Além de fazer parte da construção de todo legado na jornada de descarbonização que a Raízen está deixando para as próximas gerações.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here